Secretaria de Saúde intensifica ações do Novembro Azul

Secretaria de Saúde intensifica ações do Novembro Azul

O agendamento do exame de sangue está sendo realizado nos postos de saúde das zonas urbana e rural. Já a coleta deverá ser feita no laboratório municipal

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN, através da Secretaria Municipal de Saúde,  vem intensificando as ações em alusão ao Novembro Azul – movimento criado para conscientização dos homens e prevenção e diagnóstico do câncer de próstata. Desde o dia 1º de novembro, as Unidades Básicas de Saúde do município estão realizando, de segunda a sexta, das 7h às 16h, atividades para atender o público masculino, entre elas, o exame do toque retal e o PSA (Antígeno Prostático Específico). O agendamento do exame de sangue está sendo realizado nos postos de saúde das zonas urbana e rural. Já a coleta deverá ser feita no laboratório municipal.

O PSA e o toque retal são os dois tipos de exames que os pacientes podem verificar se existe alguma alteração na próstata. Eles devem ser realizados uma vez por ano, a partir dos 50 anos de idade. De acordo com a recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia, quando há histórico familiar de câncer de próstata, a prevenção deve ser feita a partir dos 45 anos.

Na UBS de Santo Antônio do Potengi, a equipe da saúde realizou uma mobilização com o intuito de alertar os usuários dos serviços públicos. “Assim como o Outubro Rosa está voltado para as mulheres, o Novembro Azul está voltado para os homens, para que os mesmos tomem atitudes em prol da própria saúde e façam o exame preventivo”, disse o secretário de Saúde Jalmir Simões.

Segundo Ministério da Saúde, somente em 2016, o Rio Grande do Norte obteve mais de 900 registros de câncer de próstata, o que representa uma taxa de 57,9% para cada grupo de 100 mil habitantes. No Nordeste, o estado fica atrás apenas de Pernambuco (61,73) e Sergipe (58,48).

Vale ressaltar que a prevenção é essencial para a preservação da vida. Apesar do câncer de próstata ser o segundo que mais mata no Brasil, com estimativa de 61,2 milhões de casos para este ano, se diagnosticado precocemente, poderá ter 90% de chance de cura.

COMENTÁRIOS